janeiro/fevereiro de 2018

Nos primeiros meses deste ano a FNERDM tem continuado o seu trabalho junto dos vários Grupos de Trabalho em que está representada. A Federação continua a ser um membro ativo estando presente em reuniões de trabalho e sessões plenárias. A destacar:

  • Conselho Nacional de Saúde Mental (CNSM) – Este órgão consultivo reuniu a 31 de janeiro, tendo sido debatido o Relatório do Grupo de Trabalho criado pelo Despacho n.º 1774-B/2017, de 24 de fevereiro, e a proposta de modelo de organização da prestação de cuidados na área da psicologia no SNS.
  • Grupo Implementação, Monitorização e Avaliação da Estratégia Nacional para a Integração das Pessoas sem Abrigo (GIMAE) – A FNERDM deu continuidade à participação em todas as atividades para as quais está designada, nomeadamente as reuniões do Núcleo Executivo, e dos Grupos de Trabalho da Formação (Entidade Coordenadora), da Intervenção (Membro) e da Monitorização e Avaliação (Membro). No âmbito da apresentação da ENIPSSA a nível nacional, realizou-se o 1º Encontro Nacional dos NPISA,  no dia 27 de fevereiro, num evento que reuniu os seus principais intervenientes a nível nacional e com a presença do Senhor Presidente da República, o Ministro do Trabalho e da Solidariedade Social, o Presidente da Câmara Municipal de Lisboa e Secretários de Estado nas áreas da Saúde, Segurança Social, Emprego e Habitação. Neste evento a FNERDM coordenou e dinamizou o Workshop 1 “Formação”, onde se apresentou e discutiu um referencial de formação a nível nacional para os(as) profissionais a intervevir na área das pessoas em situação de sem abrigo e onde as questões da integração das pessoas com experiência de doença mental são um tema central.
  • Rede DLBC – A FNERDM participou na Assembleia Geral Eleitoral no dia 15 de janeiro. A lista vencedora apresentou um plano de ação para o Mandato de 2018/2019 em que as proposta apresentadas passam por garantir a execução dos compromissos assumidos e diversificar fontes de financiamento que garantam a operacionalização e sustentabilidade futura da rede. Entre outras atividades, pretende-se constituir uma Equipa Técnica e condições de apoio às entidades associadas, criando um centro de recursos que servirá como plataforma de partilha de informação, mas também permitirá o desenvolvimento de ações de formação e eventos de animação local e/ou promoção de projetos.
  • EAPN Portugal/Rede Europeia Anti-Pobreza (EAPN) – As reuniões realizadas a 10 de janeiro e 20 de fevereiro tiveram por objetivo fazer o acompanhamento da representatividade da Rede EAPN no GIMAE e Rede DLBC, assim como a discussão e reflexão sobre o Plano de Atividades para 2018.
  • Rede Social de Lisboa / Grupo de Trabalho de Saúde Mental (GTSM) – Na reunião realizada a 29 de janeiro, foi dado seguimento ao trabalho desenvolvido por este grupo de trabalho no sentido de promover a qualidade de vida e integração da pessoa com problemáticas de saúde mental na cidade de Lisboa e elaboração do Plano de Atividades para 2018.
  • Carta Portuguesa para a Diversidade – A FNERDM participou no plenário anual as organizações signatárias da Carta Portuguesa para a Diversidade, dia 18 de janeiro. Nesta iniciativa foram apresentados e discutidos os diversos grupos de trabalho que estarão em funcionamento em 2018, entre estes, comunicação, laboratório, empregabilidade, sustentabilidade, educação/ensino e fórum. Foram ainda apresentados o  Plano de Atividades e orçamento para 2018.
  • Conselho Nacional dos Direitos Humanos (CNDH) – A FNERDM participou na 23ª Reunião Plenária da CNDH, realizada dia 15 de fevereiro, em que foi apresentado e discutido o projeto do Relatório Intercalar de seguimento das recomendações aprovadas pelo Conselho das Nações Unidas e dirigidas a Portugal no 2º Exame Periódico Universal.
  • EU Compass Forum on Mental Health and Well-being – A FNERDM marcou presença no EU Compass Forum, que teve lugar dia 8 e 9 de fevereiro, no Luxemburgo. Neste evento foi discutida a implementação de Políticas e Cuidados de Saúde Mental da Comunidade e apresentadas propostas concretas para melhorar as respostas em saúde mental da UE.
  • Programa Nacional de Financiamento a Projetos pelo INR, I.P. 2018 – A FNERDM viu aprovadas as duas candidaturas, para o  Curso de Qualificação em Saúde Mental Comunitária e para o Projeto rI(Age) VI – aguardando ainda a informação sobre os montantes aprovados para o seu desenvolvimento. Brevemente decorrerão reuniões com as Associadas parceiras nestes projetos para discutir a operacionalização dos mesmos.